Você sabe o que é Rippling? Entenda o que Causa e quais os Tratamentos - adrianomedeiros.med.br/

Você sabe o que é Rippling? Entenda o que Causa e quais os Tratamentos

Atualmente a mamoplastia de aumento está entre as cirurgias plásticas mais procuradas em todo o mundo uma vez que é possível realizá-la com técnicas que permitem às pacientes atingir um efeito natural. No entanto, tanto a mamoplastia de aumento como qualquer outra cirurgia não está isenta de possíveis complicações.

Quando é inserida uma prótese mamária no organismo, quer seja em baixo da glândula mamária ou do músculo, o corpo cria uma capsula em volta do implante que consiste num tecido fibroso.

 

Em algumas pacientes, devido à fraca espessura dos tecidos e da pele, os implantes mamários podem ficar visíveis e palpáveis. Esta situação pode ocorrer pouco tempo após a realização da mamoplastia e aumento ou ao longo do tempo.

Nas pacientes em que esta situação se torna mais acentuada, criam-se dobras e ondulações que se tornam perceptíveis quando a paciente inclina o tronco para a frente. Esta é uma das complicações que pode ocorrer com a cirurgia de aumento mamário dando-se o nome de rippling.

 

Porque ocorre o Rippling?

Em geral, o rippling ocorre quando as próteses de silicone não são 100% preenchidas de gel, e quando você manuseia a prótese, percebe que ela possui espaços vazios. Com o avanço da tecnologia, casos de rippling tem diminuído consideravelmente, pois hoje se fabrica próteses mais aderentes e mais produzidas com um material de alta coesividade, permitindo que o implante de silicone fique mais uniforme e estável na mama.

Esta situação é comum de acontecer com mais frequência, em pacientes muito magras com pouco tecido mamário, em pacientes com pele flácida ou em implantes mamários com muitos anos. Quando são colocadas próteses mamárias muito grandes para o tecido mamário que a paciente apresenta, é suscetível de ocorrer rippling uma vez que não existe tecido suficiente para cobrir o implante.

O local onde é colocado o implante seja na posição subglandular ou submusculuar também influencia a ocorrência deste tipo de complicação. Quando o implante mamário é colocado no plano subglandular, este fica posicionado de forma mais superficial e próximo da pele, ficando a prótese mais notável, o que pode tornar as ondulações mais evidentes.

Apesar de esta técnica ser mais simples e com um pós-operatório menos doloroso, não está indicada para mulheres muito magras uma vez que possuem menos tecido mamário para cobrir o implante o que o torna mais visível mesmo com ou sem rippling.

Já quando o implante é colocado no plano submuscular, o implante fica atrás do músculo, havendo uma maior cobertura do mesmo. Desta forma, consegue-se um efeito mais natural uma vez que o implante é menos perceptível. Neste plano não é tão comum à ocorrência de rippling e mesmo que ocorra será menos visível devido à maior cobertura dos implantes mamários.

Outro fator que pode influenciar o aparecimento desta complicação é o tipo de implante. As próteses de silicone de gel não coesivo tendem a enrugar com maior facilidade, ao contrário das próteses de poliuretano.

Existe tratamento para corrigir Rippling?

O rippling não se trata de uma situação grave, não é doloroso e não afeta a saúde da paciente. Afeta somente a estética e os resultados. Quando esta situação ocorre, é possível de corrigir alterado o posicionamento do implante para o plano submuscular, assim como pode ser substituído o tipo de prótese mamária. O uso de um implante de poliuretano reduz a incidência de rippling em relação ao implante texturizado. A aderência do implante de poliuretano na parede torácica é maior, o que predispõe a menos flacidez e a coesividade do gel também é maior – o que dificulta a migração do gel para o polo inferior do implante, com consequente esvaziamento do polo superior, o que dá a sensação de rippling. Outra forma de corrigir o rippling é através do enxerto de gordura da própria paciente.

Para que a paciente possa atingir os resultados desejados com a mamoplastia de aumento, sem o aparecimento de possíveis complicações tais como o rippling, é extremamente importante que seja realizada uma avaliação cuidada das características da paciente para que possa ser aplicada as técnicas mais adequadas e desta forma, minimizar a probabilidade de ocorrer este tipo de complicação.

 

Gostaram de conhecer mais sobre o rippling ? Se ficou alguma dúvida sobre esse tema, deixa aqui nos comentários!

Também não deixe de acompanhar minhas redes sociais para conhecer ainda mais sobre cirurgias plásticas e muito mais. Acesse meu Facebook, Instagram e Youtube!.

Até a próxima semana!

Sem Comentários

Poste seu comentário

×
Fale com a gente!