top of page
  • Foto do escritorDr. Adriano Medeiros

Desvendando a Blefaroplastia pelo Plano de Saúde: Tudo o que você precisa saber

A blefaroplastia, procedimento cirúrgico que visa rejuvenescer a região dos olhos, pode ser uma opção acessível através do plano de saúde, proporcionando não apenas benefícios estéticos, mas também funcionais. Nesta matéria, exploraremos os detalhes sobre como realizar a blefaroplastia pelo plano de saúde, desmistificando o processo e destacando as vantagens para os pacientes.



1. Indicações e Benefícios: A blefaroplastia é indicada para tratar problemas como excesso de pele nas pálpebras, bolsas de gordura e flacidez ao redor dos olhos. Além dos benefícios estéticos, o procedimento pode melhorar a visão, especialmente em casos nos quais a flacidez das pálpebras interfere no campo visual.


2. Consulta com o Cirurgião Plástico: O primeiro passo para a realização da blefaroplastia pelo plano de saúde é agendar uma consulta com um cirurgião plástico credenciado. Durante essa consulta, o profissional avaliará a necessidade do procedimento e discutirá os benefícios esperados. É fundamental apresentar relatórios médicos que comprovem a necessidade cirúrgica, como exames oftalmológicos.


3. Autorização do Plano de Saúde: Após a consulta, o cirurgião plástico encaminhará a solicitação de autorização para o plano de saúde. Essa etapa envolve a elaboração de um relatório médico detalhado, destacando a importância da blefaroplastia para a saúde ocular e bem-estar do paciente. Paciência é crucial, já que o prazo para autorização pode variar.


4. Procedimento Cirúrgico: Com a autorização em mãos, o próximo passo é a realização da blefaroplastia. O procedimento é conduzido em ambiente hospitalar, sob anestesia local ou geral, dependendo da extensão da cirurgia. O cirurgião remove o excesso de pele, reposiciona as bolsas de gordura e, se necessário, ajusta os músculos ao redor dos olhos.


5. Pós-Operatório e Acompanhamento: Após a cirurgia, o paciente deve seguir as orientações médicas para o período de recuperação. Edema e equimoses são comuns, mas diminuem ao longo das semanas. O acompanhamento pós-operatório é crucial para garantir uma recuperação tranquila, e o cirurgião plástico monitorará o progresso do paciente.


6. Custos e Coberturas: É importante ressaltar que nem todos os planos de saúde cobrem a blefaroplastia por motivos puramente estéticos. No entanto, se houver uma indicação médica justificável, como problemas de visão, as chances de cobertura aumentam. Os pacientes devem estar cientes dos custos envolvidos e buscar esclarecimentos junto ao plano de saúde.


Conclusão: A blefaroplastia pelo plano de saúde é uma opção viável para quem busca não apenas aprimorar a aparência, mas também corrigir problemas funcionais na região dos olhos. A colaboração entre o paciente, o cirurgião plástico e o plano de saúde é essencial para garantir que o procedimento seja realizado de maneira segura e eficaz, proporcionando resultados estéticos e funcionais satisfatórios.

0 visualização0 comentário
bottom of page